merida enamora
Diario do Sul
El Faro Familia

Entre 19 e 21 de agosto

9.ª edição da Feira Histórica e Tradicional anima centro histórico de Serpa

09 Agosto 2016 | Fonte: Nota de Imprensa

Em 2016, ao cumprirem-se 850 anos sobre a primeira conquista de Serpa, a Câmara Municipal assinala a efeméride com várias iniciativas e dedica a sua Feira Histórica e Tradicional ao primeiro rei de Portugal.
Organizada pelo Município de Serpa, com o apoio do Movimento Associativo e das Juntas de Freguesia do Concelho, inclui recriações históricas, o Mercado dos Infantes e Petizes, espetáculos, animação, iniciativas para a infância, palestras, oficinas gratuitas, entre outras atividades.
No quadro da denominada “Reconquista cristã” e das ações militares que fizeram deslocar para sul a fronteira entre cristãos e muçulmanos, teve lugar em 1166 a 1.ª conquista de Serpa por Geraldo Geraldes, que recebeu o cognome de “Sem-Pavor”. A tomada de Serpa integrou-se num plano de operações militares concertadas entre o rei D. Afonso Henriques e o caudilho. A conquista de Alcácer do Sal, em 1158, abriu o caminho a novas incursões a sul do Tejo. Estas visavam a conquista de castelos que faziam parte da constelação de fortificações que asseguravam a defesa de Badajoz. O objetivo era a tomada desta cidade, que era o grande baluarte do Ocidente islâmico. (…) O ataque contra Badajoz teve lugar em 1169. A investida foi um fracasso e D. Afonso Henriques, capturado pelo exército de Fernando II de Leão, que acorrera em auxílio do emir muçulmano, foi obrigado a ceder a maior parte dos castelos de que tinha acabado de tomar posse. A 1.ª conquista de Serpa teve, pois, carácter efémero. Não se sabe ao certo quanto tempo se manteve na posse dos cristãos. Segundo o Conde de Ficalho, entre 1171 e 1184, provavelmente em 1180, os exércitos almóadas terão recuperado a fortaleza.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.