merida enamora 2
Diario do Sul
Twitter rectangular

“Direitos Humanos” é o tema em destaque

Cinema documental ibérico no IV Festival Internacional de Cinema de Marvão e Valência de Alcântara

16 Agosto 2016 | Fonte: Nota de Imprensa

O cinema documental ibérico está em foco na quarta edição do Festival Internacional de Cinema de Marvão e Valência de Alcântara, que decorre entre 16 e 21 de agosto, com a apresentação de um amplo painel de obras de realizadores dos dois países vizinhos.
Durante seis dias, o Festival marca presença junto das populações desta região raiana, levando o cinema a vilas, aldeias e povoados, e promovendo o contacto com todas as camadas etárias, desde os mais jovens aos mais idosos.
Exposições, concertos, oficinas artísticas, palestras e debates complementam a oferta disponível durante o evento, que assim se afirma como um momento alto na agenda cultural da região.
Os "Direitos Humanos", nas múltiplas vertentes que assumem, constituem o tema de fundo desta quarta edição, que conta com a participação permanente de uma delegação da Amnistia Internacional de Portugal.
A abordagem ao tema é feita, quer através da exibição de filmes onde se retratam problemáticas tão atuais como a guerra na Síria, a crise dos refugiados, os múltiplos conflitos étnicos e religiosos do nosso tempo, quer através de momentos de reflexão e debate, na sequência da visualização das películas.
Já confirmadas estão as presenças de vários dos realizadores representados na mostra. É o caso de Paulo Vinhas, que apresenta em estreia nacional a obra "Contrabando", e de Sérgio Trefaut, com o galardoado "Tréblinka", Melhor Longa Metragem Portuguesa na edição de 2016 do Indie Lisboa.
De Espanha aguarda-se a vinda, entre outros, de Silvia Venegas e J. A. Moreno ("Kafana" e "Boxing for Freedom"), Edu Marín e Olivier Algora ("Good Night Sarajevo"), Paco Espada ("El País del Miedo") e María Pérez ("Malpartida Fluxus Village")
Os espaços escolhidos para a realização das projeções e restantes atividades possuem características que os distinguem pelo seu particular interesse histórico e patrimonial, bem como pelas vivências que lhes estão associadas.
Uma opção pensada que corresponde ao desejo de "cruzar a sétima arte com os valores do património e cultura locais", segundo Paula Duque Giraldo, diretora do festival.
No que toca ao programa do presente ano, a diretora do Periferias considera que é "o mais alargado e ambicioso até à data", destacando "o reforço da colaboração com a localidade vizinha de Valência de Alcântara (Espanha) e, dessa forma, o consolidar da vocação transfronteiriça do festival".
O Festival é uma iniciativa da Associação Cultural Periferias apoiada pela Câmara Municipal de Marvão e beneficiando de um conjunto de patrocínios onde se incluem a CCDR Alentejo através da EURORREGIÃO EUROACE que se associa a esta iniciativa transfronteiriça, e o Turismo do Alentejo, em Portugal; e a Diputación de Cáceres, o Ayuntamiento de Valencia de Alcántara, e a Filmoteca de Extremadura, em Espanha.
A consolidação do projecto do Festival passa, igualmente, pelo estabelecimento de parcerias com outros festivais, como é o caso do Festival de Curtas de Vila do Conde, o Festival de Cine Ibérico de Badajoz (Espanha) e o Festival de Cinema Africano de Tarifa - Tanger (Espanha).

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.