Diario do Sul
Twitter rectangular

Município de Monforte restaura altares da Igreja Matriz

Fonte: Nota de Imprensa

19 Agosto 2016

No âmbito de um protocolo celebrado entre o Município de Monforte e a Paróquia, contando com a colaboração da Santa Casa da Misericórdia de Monforte, decorreu mais uma fase da intervenção de Conservação e Restauro de dois altares da Igreja Matriz de Monforte.
Esta ação teve a coordenação de Patrícia Cutileiro, conservadora / restauradora da Câmara Municipal e envolveu novamente alunos de vários anos do Curso de Conservação e Restauro da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa que, em contexto de estágios voluntários, se disponibilizaram para participar nos trabalhos que decorreram entre 11 de julho e 11 de agosto.
Nesta temporada, inscreveram-se 14 estagiários que, repartidos por grupos, tiveram, assim, oportunidade de aplicar conhecimentos adquiridos.
Entretanto, no último dia, o presidente e a vereadora da Cultura do Município de Monforte, Gonçalo Lagem e Mariana Mota, respetivamente; o Pároco local, Padre Joannes, e o provedor da Santa Casa, Francisco Duarte, acompanhados pela dirigente da Unidade Sociocultural e Desportiva dessa autarquia, Teresa Cunha Sardinha, deslocaram-se à Igreja Matriz de Monforte (Igreja de Santa Maria da Graça).
Foram recebidos por Patrícia Cutileiro que lhes prestou informações acerca do estado e evolução dos trabalhos, recordando que o retábulo em talha dourada/policromia, que data do terceiro quartel do Séc. XVIII, do altar da Nossa Senhora do Parto está a ser alvo de intervenção de conservação e restauro de forma a restituir a sua leitura original, procedendo a limpezas mecânicas e químicas para remover as tintas que cobrem a folha de ouro e, posteriormente, fixações pontuais de policromia/ouro em destacamento. Enquanto no altar do Sagrado Coração de Jesus, em alvenaria com pintura decorativa a fresco (escaiolas – marmoreados), de finais do Séc. XVIII, a intervenção é ao nível da conservação de modo a recuperar o máximo possível da pintura decorativa original, através da remoção mecânica de vestígios de cal e tintas que a cobrem.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.