Diario do Sul
Twitter rectangular

“A Natureza e a Mulher” - Pintura e Cerâmica

Sara Caeiro expõe na CCDR Alentejo

Autor :Nota de imprensa

Fonte: CCDR Alentejo

13 Julho 2017

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA) acolhe uma exposição da jovem pintora eborense Sara Caeiro, que tem trabalhos seus patentes de 7 de julho a 12 de agosto na galeria daquele serviço público.
O presidente da CCDRA, Roberto Pereira Grilo, escreve no catálogo de apresentação: “Ao acolhermos esta exposição na CCDRA, não estamos só a colocar o espaço físico desta instituição ao serviço da arte e da Sara; estamos a receber uma dádiva que marcará muito mais que as pedras e o betão de que é feito o edifício, estamos a trazer para ele alma, a alma que nos é oferecida através das obras de arte que acolhe, para que nós as possamos mostrar aos outros.”
Acrescenta ainda "leva-nos a um mundo de cores, de objetos, de figuras, um mundo que ela nos serve numa bandeja de imaginação e faz com que o nosso mundo seja muito melhor, muito mais colorido e muito mais perto daquilo que é a felicidade. Quando um artista consegue isso é sinal que o seu trabalho é arte. A Sara oferece-nos tudo isso, a Sara é uma artista, as suas obras são...arte.”
A intensidade cromática das suas paisagens pictóricas completa a luminosidade e a dinâmica das suas personagens, num convite a uma paragem e ao deleite.
A jovem Sara é acompanhada atualmente pela Associação de Surdos de Évora (ASE). A Professora Zulima Gaspar, presidente da ASE, disse: “A exposição dos trabalhos da Sara é a linha que vai valorizar o seu dia-a-dia e lhe fará crescer a sua autoestima. Porque nesta Associação todos os nossos esforços se organizam no sentido de encontrar uma forma que permita dar a cada um dos cidadãos surdos que nos procura, o seu espaço na sociedade comum.”
A Segurança Social, na pessoa da diretora do Centro Distrital de Évora, além das suas competências específicas de financiador e regulador das respostas sociais, tem desenvolvido um projeto-piloto de incremento da arte como suporte para a inclusão, motivando diversas iniciativas, porque em seu entender “a Arte deve ser um instrumento privilegiado no desenvolvimento de competências, permitindo um desenvolvimento humano integral e a inclusão social dos públicos-alvo mais fragilizados.”
O gosto pelo desenho e pela pintura muito cedo se revelaram na vida da Sara. Fez depois aprendizagem com a reconhecida artista e pedagoga Teodolinda Pascoal. Continuou o seu percurso criativo, mas só agora apresenta a sua primeira exposição individual.
Intimista no seu processo criativo rompe, pela arte, o isolamento do seu universo, manifestando ansias de comunicar pela intencionalidade estética.
Para além do incremento das entidades envolvidas esta exposição contou com a generosa dedicação do artista plástico Joaquim Tavares, também envolvido noutros projetos que unem a arte e a inclusão social.
Sara Caeiro apresenta pinturas e também uma pequena mostra de obras em cerâmica e azulejaria, que foi desenvolvendo ao longo dos anos em diferentes enquadramentos e ateliers.
A visita é de acesso gratuito e podem receber-se grupos por marcação prévia.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.