Diario do Sul
diario jornal

Percurso pedestre conta com 12 pontos de interesse

Passagem de Eça de Queirós por Évora pode ser conhecida através de roteiro criado pelo município

Autor :Redação - Marina Pardal

12 Outubro 2017

O nome não engana. “Roteiro Eça de Queirós em Évora”. Este documento pretende dar a conhecer alguns dos principais locais frequentados por Eça de Queirós aquando da sua presença em Évora, há 150 anos, sendo também destacados vários eventos em que participou.

A iniciativa de construir este roteiro partiu da Câmara de Évora no âmbito das comemorações dos 150 Anos de Eça em Évora, que decorreram de janeiro e setembro deste ano.

Os conteúdos científicos desta obra foram elaborados por Manuel Alcario, Manuel Branco e Marcial Rodrigues, enquanto as fotos são oriundas do Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Évora, da coleção Grupo Pró-Évora.

Recorde-se que foi a 6 de janeiro de 1867 que saiu para “a rua” o primeiro número do jornal Districto de Évora. Eça de Queirós, que na altura tinha 21 anos, foi escolhido para diretor deste bissemanário, que surgiu pela iniciativa de um grupo de pessoas da região oposicionistas ao regime.

Para assinalar os 150 anos da presença de Eça de Queirós na cidade alentejana, o Município de Évora, em parceria com um conjunto de cidadãos e várias instituições do concelho, promoveu diversas iniciativas.

Quanto a este roteiro, de certa forma, representa o culminar das comemorações, mas ao mesmo tempo é um ponto de partida para mais iniciativas.

À margem da sessão de apresentação, o vereador do município, Eduardo Luciano, disse que “ficámos com material suficiente para que não fosse apenas uma comemoração, mas fosse um objeto de estudo ao longo do tempo”, destacando, por exemplo, que “a exposição realizada neste âmbito vai continuar a circular pelas escolas”.

Relativamente ao roteiro, realçou que este documento “não pretende mostrar as ruas por onde o Eça passou, porque isso seria desinteressante, pretende sim mostrar a vida que o Eça viveu nos sete meses que esteve em Évora”.

De acordo com o vereador, “não o designamos como um roteiro turístico, é antes um roteiro de visita à cultura de uma cidade há 150 anos atrás”, considerando que “poderá ser motivo de reflexão acerca daquilo que temos hoje e sobre o que queremos para o futuro”.

Na sua perspetiva, “ter tido Eça de Queirós em Évora, não o grande escritor, mas o bacharel em Direito, que veio para a cidade ser pago para fazer política, acabando a sua presença aqui por influenciar de alguma forma a sua obra, ter esse património histórico e não o divulgar, não apelar ao seu conhecimento ou não o discutir, seria, digo eu, quase criminoso”.

Eduardo Luciano adiantou ainda que “este projeto está integrado num conjunto de roteiros de cultura cujo lançamento estamos a preparar”.

Quanto às funcionalidades deste roteiro, evidenciou que “ao longo do tempo, a câmara municipal irá organizando visitas pontualmente, mas não é uma atividade continuada”, defendendo que “a atividade continuada tem de ser ‘agarrada’ pelos operadores turísticos, pelos guias, por essas pessoas que fazem com que os nossos visitantes se sintam o melhor possível na cidade”.

Nesse sentido, o vereador reforçou que “este é um instrumento de trabalho para os operadores turísticos e por isso está disponível para quem quiser organizar estas visitas”.

Para além disso, sublinhou que “está disponível para o cidadão individual que queira fazer o percurso”.

E por falar nisso, este roteiro destaca locais como o Rossio de São Brás, o Passeio Público (atual jardim público), a Praça do Giraldo, o Teatro das Casas Pintadas ou a Biblioteca Pública de Évora, num total de 12 pontos de interesse.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.