euroace
Diario do Sul
diario jornal

Projeto promovido pela ACDE apostou em três áreas distintas

QualiCompet chegou ao fim “com sentimento de dever cumprido”

Autor :Marina Pardal

Fonte: Redação

12 Janeiro 2018 | Publicado : 15:50 (12/01/2018) | Actualizado: 15:53 (12/01/2018)

Durante mais de um ano esteve em execução o projeto QualiCompet - Qualificação e Inovação nos Setores do Comércio e Serviços do Distrito de Évora.

Promovido pela Associação Comercial do Distrito de Évora (ACDE), foi cofinanciado pelo Programa Operacional Alentejo 2020 e contou com a parceria da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo.

Este projeto encontrava-se dividido em três áreas: “Inovação e tradição local na restauração, Criação de valor pela diferenciação e Marketing e comunicação”.

Todas elas incluíram vários workshops de capacitação, um programa de coaching personalizado e um evento final de mostra de competências. No primeiro caso decorreu uma semana gastronómica e uma mostra gastronómica, no segundo foi realizado um desfile de moda e no último foi feita uma mostra de montras de Natal.

Qualificar e inovar os serviços e o comércio tradicional no distrito de Évora foi um dos objetivos do QualiCompet, que teve a sessão de encerramento no passado mês de dezembro, no salão nobre da ACDE.

Essa iniciativa contou com a presença do presidente da ACDE, António Melgão; da secretária-geral da ACDE, Mariana Candeias; e do presidente do Município de Évora, Carlos Pinto de Sá.

Para além de ter sido feito um balanço do projeto, foram entregues os certificados de participação às empresas que participaram, bem como os prémios aos vencedores dos pratos mais votados na semana gastronómica e da eleição da mais bela montra de Natal 2017.

O evento terminou com um momento surpresa, a inauguração de um canhão de neve na Praça do Giraldo.

Durante o balanço do projeto, feito por Mariana Candeias, foi referido que “na área ‘Inovação e tradição local na restauração’ participaram 14 restaurantes, que aderiram à semana gastronómica e à mostra gastronómica”.

Acrescentou que “a semana gastronómica incluiu uma votação online do prato favorito, tendo sido esse prémio atribuído ao restaurante ‘O Cachola’, de Montemor-o-Novo, que num total de 3600 votos obteve 1618”.

Já na área de “Criação de valor pela diferenciação”, a mesma responsável recordou que o evento final foi “um desfile de moda com 14 modelos do distrito, dois modelos profissionais, quatro designers e 15 lojas”.

Por último, Mariana Candeias salientou que “na área de ‘Marketing e comunicação’ participaram 15 lojas na Mais Bela Montra de Natal, tendo vencido a Electrilar com 2820 votos, num total de 5471”.

À margem da sessão de encerramento, o presidente da ACDE garantiu que “fazemos um balanço muito positivo desta mostra de montras porque além da participação dos comerciantes, foi uma agradável surpresa o número de votos obtidos”, considerando que “foi um número significativo para esta primeira edição”.

António Melgão constatou também que “os lojistas gostaram de participar na iniciativa e mostraram-se disponíveis para outras ações deste género, ao mesmo tempo que ficaram despertos para a importância da montra para atrair os clientes”.

Relativamente ao QualiCompet no seu todo, o mesmo responsável focou que “embora nem tudo tenha sido perfeito, fazemos um balanço positivo”, realçando que “foi um projeto que nos permitiu alavancar três tipos de eventos que nós queremos que sejam continuados”.

Na sua opinião, “os três eventos foram bastante interessantes para uma primeira edição e encorajam-nos a tentar fazer estes eventos de forma regular, pois quantas mais vezes forem realizados, mais experiência teremos e mais visitantes teremos”.

António Melgão ressalvou ainda que “o projeto terminou, mas o objetivo é que os eventos perdurem no tempo”.

A esse respeito, frisou que “em março de 2018, vão decorrer as eleições para a Direção da ACDE, mas gostaríamos que estas atividades continuassem independentemente da Direção que for eleita”.

Durante a sessão final do QualiCompet, o presidente da Câmara de Évora saudou o trabalho da ACDE, apontando que “este projeto mostrou vontade em responder aos problemas com que o comércio se debate”.

Para Carlos Pinto de Sá, “nós temos de ter capacidade para lançar eventos no centro histórico que tendam a ser regulares, que se vão repetindo de x em x tempo, só assim é que se cria habituação, se cria público e atrai pessoas”.

Disse ainda que “partilho a ideia de que a cooperação entre todas as entidades em qualquer campo é absolutamente fundamental e na área económica é decisiva hoje em dia”, sublinhando que “a capacidade de trabalhar em conjunto, de projetar em conjunto e de promover em conjunto é cada vez mais importante”.

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.