Diario do Sul
Twitter rectangular

Serviço de Pediatria do Hospital de Évora acreditado pela Direção Geral de Saúde

“O reconhecimento de uma qualidade que já existia, mas que foi reforçada”

O Serviço de Pediatria do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) foi o primeiro serviço clínico acreditado desta instituição, o que evidencia e que fez prova de que respeita os direitos dos utentes, familiares e cuidadores. A acreditação, efetuada pela Direção Geral de Saúde, de acordo com o Programa Nacional de Acreditação em Saúde (PNAS), ocorreu no mês de Dezembro.

Autor :Maria Antónia Zacarias

Fonte: Redacção D.S.

08 Janeiro 2016

O diretor do Serviço de Pediatria, Hélder Gonçalves, disse estar muito satisfeito por saber que “os meus netos e todos os ne  O diretor do Serviço de Pediatria, Hélder Gonçalves, disse estar muito satisfeito por saber que “os meus netos e todos os netos desta região podem contar com um serviço de qualidade”, adiantando que a particularidade dos cuidados prestados já existia, tendo sido apenas reforçada.  tos desta região podem contar com um serviço de qualidade”, adiantando que a particularidade dos cuidados prestados já existia, tendo sido apenas reforçada.

O mesmo responsável explicou que esta acreditação insere-se numa política que “tem vindo a ser implementada por este Conselho de Administração que tem apostado muito na segurança e na qualidade do hospital e, nós, Serviço de Pediatria aceitámos o convite que nos foi feito para entrar neste processo de autoavaliação”.

O processo envolveu uma equipa multidisciplinar, desde médicos pediatras, especialistas, enfermeiros, assistentes operacionais e assistentes técnicos, perfazendo um total de cem pessoas. “Iniciou-se o processo de acreditação em setembro de 2014 e concluímos em setembro de 2015”, afirmou, evidenciando que quando tudo começou “sabíamos que o Serviço de Pediatria tinha condições instaladas para conseguir levar esta certificação a bom porto”.

Hélder Gonçalves sublinhou que o serviço tinha pontos fortes, nomeadamente na área assistencial, da formação, da investigação, da qualidade e da inovação. Mas, tinha, igualmente, pontos menos fortes “em que era preciso investir para estar ao nível dos pontos fortes, daí termos escrito os procedimentos que já existiam e uniformizámos práticas respeitando as normas da Direção Geral de Saúde”.

O pediatra lembrou que este resultado assentou também nos inquéritos que foram efetuados aos utentes sobre o grau de satisfação dos utentes e que permitiram dar orientações, bem como analisar as reclamações, os elogios e as sugestões. “Assim, melhorámos ao nível da acessibilidade, da privacidade, confidencialidade, segurança e qualidade do serviço prestado”, frisou.

Grau de consciência
aumentou significativamente
entre os profissionais

A consciência de que esta acreditação implicou mudança de atitudes, evidenciando boas práticas, usando o medicamento de uma forma segura e racional foi admitida. O diretor de serviço realçou que, ao longo de todo este processo, os profissionais aperceberam-se também da importância da manutenção dos equipamentos “que é essencial também para o êxito do tratamento do doente”, tendo originado uma sedimentação e divulgação de normas e de orientações que agora foram fortalecidas.

“Nós já tínhamos profissionais muito conscientes sobre as questões da segurança e da qualidade, mas agora o grau de consciência aumentou significativamente. Não tenho dúvidas que em termos de cultura de segurança, nós estamos muito mais à frente do que estávamos há uns meses atrás”, afiançou Hélder Gonçalves que acrescentou: “Todos nós trabalhámos. Eu próprio trabalhei muito e dei a face por este projeto porque acreditava no grupo que fez, de facto, um excelente trabalho”.

Todo o processo de certificação tem como base cinco pilares que englobam questões específicas que são avaliadas in loco e mediante demonstração e que se referem ao cidadão, como centro do sistema de saúde, à organização da atividade centrada na pessoa, aos profissionais, aos processos de suporte e aos resultados.

Coesão de todos
os profissionais para
um objetivo comum

O mesmo responsável adiantou que, com este procedimento, foi possível incrementar a coesão e colaboração de todos os profissionais na prossecução de um objetivo conjunto, prestigiante para o serviço, para a instituição e para a região Alentejo. “A participação ativa de toda a equipa numa aposta na qualidade do serviço é de salientar”, vincou.

O Serviço de Pediatria do HESE integra o internamento de pediatria, as consultas externas de pediatria, a urgência pediátrica e a unidade de neonatologia. Hélder Gonçalves realçou que antes desta acreditação, o Hospital do Espírito Santo de Évora já era de referência, a nível assistencial, na área neonatal para toda a região do Alentejo e de diferenciação na área da cardiologia infantil e da cirurgia pediátrica.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.