Diario do Sul
Twitter rectangular

Previsão surge à boleia do bom tempo para o fim-de-semana

Enchente nas praias alentejanas leva autoridades a pedir cautelas

O alerta parte do porta-voz da Autoridade Marítima, Nuno Leitão, e é dirigido aos mais afoitos, numa altura em que as praias da costa alentejana ainda não estão vigiadas e o próximo fim-de- semana promete ser quente, com as temperaturas a variarem entre os 23 e 27 graus:

Autor :Roberto Dores

Fonte: Redacção D.S.

29 Abril 2016

“O mar ainda está com a força de inverno e pode haver várias alterações de fundo, consequência dos temporais dos últimos meses. Além disso, a água ainda está muito fria”, acrescenta.

Nuno Leitão pede aos banhistas que tenham cuidados redobrados, uma vez que os “riscos são maiores”, enquanto o presidente da Associação de Nadadores Salvadores do Litoral Alentejano (Resgate), António Mestre, chama a atenção para possíveis “agueiros e correntes” próprios desta época do ano.

A Resgate não tem nada planeado para estes dias de calor, mas admite “ajudar dentro do que estiver ao alcance”, admitindo que poderia ter nadadores salvadores nas praias nestes dias “caso houvesse apoio das autarquias. Isto tem custos elevados”, sublinha, uma vez que fazem falta pessoas e equipamentos.

O Instituto de Socorros a Náufragos recomenda a quem for à praia que tenha muita atenção ao comportamento das marés, evitando distrações e não permitindo que as crianças brinquem na zona da areia molhada. “Se a areia está molhada significa que a água já ali chegou e um golpe de mar inesperado pode arrastar uma pessoa para uma zona difícil”, avisa.

Mas no que concerne aos nadadores salvadores há mais uma contrariedade este ano que está a preocupar as autoridades, na medida em que as escolas privadas entraram pela primeira na formação de salva-vidas provocando o aumento do preço dos cursos de 155 para 325 euros. Resultado, há quem prefira não investir e recuse renovar a licença, que é obrigatória de três em três anos para quem quiser exercer.

Para tentar minimizar o problema, a Federação Portuguesa de Nadadores-Salvadores (Fepons) decidiu entrar na formação, revelando que vai dar cursos por 160 euros, mas deixa claro que a formação já está atrasada e que isso vai ter implicações na época balnear ao nível da colocação de nadadores salvadores nas praias e piscinas

Alexandre Tadeia, presidente da Fepons, assegura a realização de cursos da federação em Sines e Odemira, enquanto critica o elevado preço praticado pelas entidades privadas.

Já para o ISN, esta “mudança de paradigma”, diz Nuno Leitão, tem de ser colmatada pela vontade de todos, admitindo estar preocupado com a previsível dificuldade na colocação de nadadores-salvadores nas praias este ano.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.