Diario do Sul
diario jornal

Caso passou-se no Comando de Portalegre no ano passado

Sargento da GNR é suspenso 50 dias por furtar moedas

Fonte: Redação

27 Julho 2016

Já é conhecido o resultado do processo disciplinar movido pela GNR contra o sargento-mor que seria filmado a furtar moedas da caixa registadora instalada no bar das instalações do comando da GNR de Portalegre no ano passado: 50 dias de suspensão e descida à terceira categoria de comportamento. Mas o sargento, que ainda pode recorrer da sentença, não foi o único a ser punido. É que também o autor das filmagens teve uma repreensão escrita por ter divulgado o vídeo a outros colegas, desobedecendo indicações dadas por superiores hierárquicos .
O caso foi revelado em 2015. As moedas desapareceram da caixa registadora da messe dos sargentos da GNR de Portalegre ao longo de nove meses. Os principais suspeitos eram dois militares que trabalhavam no bar, mas após terem sido confrontados com o desaparecimento do dinheiro negaram o seu envolvimento e sugeriram que fosse colocada uma câmara a filmar a caixa. Poucos meses depois descobriram que o responsável pelos furtos era, afinal, um sargento-mor.
As quantias em falta começaram por ser quase insignificantes, mas ao fim dos nove meses já atingiam um valor mais elevado. O militar devolveu 41 euros e admitiu os furtos.
O sargento foi filmado em junho do ano passado a mexer na caixa e a retirar moedas. De seguida, vê-se nas imagens de vídeo, colocou o dinheiro no bolso das calças. A filmagem seria entregue ao comando da GNR de Portalegre e o caso comunicado ao Ministério Público.
O militar de 53 anos chegou a estar algum tempo de baixa, tendo recebido, entretanto, a medalha por assiduidade de segurança pública, tratando-se de uma condecoração entregue de forma “automática” pelo Ministério da Administração Interna a todos os elementos das forças de segurança, mas apenas com base no tempo de serviço e sem ter em conta o comportamento. Contudo, esta descida à terceira categoria de comportamento vai inviabilizar para o resto da sua carreira eventuais novas condecorações.
Porém, e segundo relata o Jornal de Notícias, a entrega da medalha de assiduidade ao sargento-mor do comando de Portalegre foi mal acolhida entre os militares da GNR, que viram no alegado furto do militar um ato desonroso para a Guarda. Enquanto isso, revela a mesma publicação, a GNR preferiu punir imediatamente o militar disciplinarmente, em vez de esperar pela conclusão do inquérito do Ministério Público no Departamento de Investigação e Ação Penal de Portalegre.
A câmara oculta foi colocada por um militar com o conhecimento de superiores hierárquicos com o objetivo de se descobrir quem estava a tirar dinheiro da caixa. Assim que o vídeo permitiu identificar o autor, o militar que ficou com as imagens em sua posse terá recebido instruções para não as revelar. Mas não respeitou a ordem e exibiu a filme a outros colegas, o que lhe valeu a abertura de um outro inquérito que resultou numa repreensão escrita agravada. Incorria numa pena mais pesada, mas foi dado como provado que agiu sem dolo e apenas com negligência.

Dê-nos a sua opinião

Incorrecto
NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

NORMAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.diariodosul.com.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.diariodosul.com.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.